Plano de Carreira Individual facilita a escolha do curso de Pós ou MBA

 

 João Florêncio Bastos*

Para facilitar a tomada de decisão na hora de escolher um curso de pós (especialização ou MBA), é fundamental que o profissional invista tempo na elaboração do Plano de Carreira Individual para poder executá-lo adequadamente ao longo das aulas e no trabalho de conclusão de curso, visando o melhor retorno do investimento de tempo, energia e dinheiro em educação continuada. Por esta razão, o método Questionamento Objetivo do Progresso na Carreira é focado na aplicação prática de questões extremamente objetivas que provocam respostas específicas e que aperfeiçoam o pensamento crítico dos profissionais que pretendem cursar a pós lato sensu.

Seja qual for o curso, a escola, a carga horária, presencial ou a distância, no Brasil ou no exterior, será necessário muita dedicação, disciplina e determinação. Dedicação de tempo para refletir sobre a troca de experiências com os professores e colegas de turma, disciplina para dar conta das leituras e execução de trabalhos extraclasse e determinação para participar ativamente das aulas e das discussões em grupo. Adicionalmente, é fundamental estreitar os laços de amizade com os colegas de turma porque o networking é um dos aspectos mais relevantes ao longo do curso.

Planejamento pode ser definido como um trabalho de preparação para qualquer empreendimento, a partir de um método adequado. Nesta preparação (aprendizado contínuo e aperfeiçoamento da capacidade de aprender a aprender) é muito importante que o profissional, a partir do sonho pessoal, do autoconhecimento e do Plano de Carreira Individual, busque soluções que venham ajudá-lo a libertar-se dos seus limites, condicionamentos e fragilidades.

O profissional que conduz a própria carreira não fica à mercê de eventuais oportunidades porque em seu planejamento valoriza a análise constante de seus objetivos e metas de curto, médio e longo prazo à luz do comportamento do mercado de trabalho frente às mudanças de cenário na economia. Desta forma, os conhecimentos, as habilidades e as atitudes dos profissionais atualizados em sua área de atuação – aprendidos e compartilhados na pós lato sensu – estimulam novas relações com as organizações porque a tradicional dependência transforma-se em parceria e abre novas oportunidades para o desenvolvimento de carreiras inéditas.

1 – MITOS QUE AINDA INCOMODAM OS PROFISSIONAIS.

Considerando o mito como uma coisa falsa e ultrapassada – algo que a crença popular atribuiu um valor que na atualidade não se comprova – três mitos ainda incomodam os profissionais:

“Trabalhe bem, entregue os resultados e será promovido” é um mito porque nos dias de hoje espera-se de um profissional, ao longo dos primeiros meses de trabalho na organização, resultados muito além daqueles negociados por ocasião da contratação. A promoção vertical, num ambiente onde a maioria das organizações enxugou o quadro de colaboradores, também precisa ser questionada uma vez que já não há tantas oportunidades nos escalões superiores. Neste momento, surgem alternativas interessantes que vão desde o enriquecimento da própria função até as movimentações laterais entre os departamentos.

“Esteja bem com o líder e os colegas de trabalho e permanecerá empregado” é outro mito que pode representar acomodação e passividade, que já não encontram espaço nas organizações. A empregabilidade está cada vez mais associada a fatores de qualificação profissional, compreensão do negócio e seus processos, entendimento das necessidades do cliente e atingimento de metas cada vez mais desafiadoras. Se o líder for transferido para outro setor ou se o profissional precisar trabalhar com outros colegas, novos desafios surgirão e a permanência no emprego demandará novas estratégias de sobrevivência.

“Faça um curso de pós-graduação ou MBA (Master of Business Administration) e mantenha a sua empregabilidade” é um mito porque fazer cursos de pós lato sensu pode significar, apenas, que os profissionais buscam certificados para “turbinarem” seus currículos. Algumas pesquisas demonstram que, de nada adianta os profissionais participarem de bons cursos, se não conseguirem aplicar o aprendizado nas organizações que buscam aumentar a sua competitividade. Comprovam ainda que muitas estratégias inovadoras que alavancam carreiras, não são ensinadas necessariamente em cursos, embora a participação nos mesmos possa revelar que os profissionais têm a preocupação em investir tempo, energia e dinheiro em sua educação continuada.

Portanto, após refletirem sobre estes três mitos, como os profissionais podem se preparar adequadamente para obter um bom aproveitamento na pós? Como devem alinhar a execução do Plano de Carreira Individual aos conhecimentos, habilidades e atitudes desenvolvidos ao longo das aulas e na elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)?

2 – A EDUCAÇÃO CONTINUADA É O VALIOSO VOLANTE DE DIREÇÃO DA CARREIRA.

A crença (conjunto de princípios e valores) nos mitos, na maioria das vezes, está relacionada aos ambientes (estradas) onde trafegamos ao longo de nossa vida. Em cada uma destas estradas utilizamos o volante de direção da carreira, conforme a nossa necessidade, maturidade, conveniência e projeto de vida. Para perceber as principais tendências no mercado de trabalho, devemos nos conscientizar de que a educação continuada representa um valioso volante de direção, que devemos segurar com firmeza, seja qual for o rumo que as nossas carreiras venham a tomar.

Muitos valores que aprendemos no ambiente da família são tão fortes, que os praticamos todos os dias com as mais variadas pessoas de nosso relacionamento. O ambiente da escola, por sua vez, é um palco onde muitos de nossos valores podem ser diferentes dos valores dos professores e dos demais colegas de classe. Nos mais diversos cursos de pós-graduação ou MBA, o convívio e a troca de experiências são muito importantes visando o compartilhamento de valores que podem alavancar a carreira de todos os envolvidos. Porém, é no ambiente do trabalho que os nossos valores devem ser mais alinhados com os valores das organizações. Também é no trabalho que experimentamos a aplicação de nossos conhecimentos, habilidades e atitudes por meio de entregas adequadas visando atingir os nossos objetivos a partir do planejamento estratégico das organizações.

A palavra carreira se origina do latim via carraria, estrada para carros. Quando nós trafegamos por uma estrada devemos respeitar a sinalização, os limites de velocidade e ter a devida habilitação para dirigir. Se estas condições não forem respeitadas, estamos sujeitos às penalidades aplicadas pelos órgãos responsáveis pelas leis de trânsito. Por analogia, ao longo de nossa carreira em uma organização, também devemos respeitar a cultura organizacional, sua hierarquia formal e ter a devida qualificação profissional.

3 – EDUCAÇÃO CONTINUADA E AS NECESSIDADES DO MERCADO DE TRABALHO.

Nos cursos de pós-graduação ou MBA existem muitas oportunidades para conversar e debater sobre três competências sempre lembradas pelos líderes nas organizações: produzir em equipe, comunicar com objetividade e cultivar relacionamentos.

3.1 – Produzir em equipe.

Os profissionais que, individualmente, produzem bons resultados sempre serão bem avaliados. Porém, se demonstrarem dificuldades para desenvolver atividades em grupos – que têm vida útil cada vez mais curta – vão perder grandes oportunidades de crescimento e enriquecimento de carreira. O conceito de trabalho em equipe – na perspectiva das organizações que investem e reinvestem em aprendizagem – é cada vez mais aplicado porque, cada integrante da equipe, pode compartilhar com os seus colegas, aquelas valiosas informações que estão ao seu alcance, possibilitando que as atividades sejam desenvolvidas com padrões elevados de qualidade.

3.2 – Comunicar com objetividade.

No campo da comunicação, os profissionais que sabem transmitir de maneira simples e objetiva o que estão pensando têm acesso às melhores oportunidades nas organizações. A habilidade de transmitir ideias com clareza e segurança é de fundamental importância, uma vez que é crescente a demanda pela formação de grupos multifuncionais, reunindo colaboradores de vários departamentos e de diferentes formações, na busca por soluções inovadoras. No processo de comunicação e relacionamento interpessoal, dentro das organizações, ocorrem profundas transformações tendo em vista o achatamento das estruturas hierárquicas. Cada vez mais as pessoas responsáveis pelas decisões estão se aproximando daquelas que fazem o produto final ou prestam serviços ao cliente.

3.3 – Cultivar relacionamentos.

Em cada ambiente nos relacionamos com pessoas que direta ou indiretamente irão influenciar as nossas carreiras. O cultivo de relacionamentos no mercado de trabalho tem sido uma grande preocupação entre os líderes porque o conceito de fidelidade dos colaboradores mudou muito a partir do momento em que as organizações começaram a acompanhar a velocidade das mudanças. As melhores oportunidades de carreira não estão somente nos classificados dos jornais e da internet ou mesmo nos bancos de dados dos headhunters, mas principalmente, nos relacionamentos que aprendemos a cultivar na família, na escola e no trabalho.

4 – EDUCAÇÃO CONTINUADA PARA APRIMORAR COMPORTAMENTOS FRENTE ÀS NECESSIDADES.

Identificadas as três competências lembradas pelos líderes, podemos agora analisar os três comportamentos que poderíamos desenvolver para melhor dialogar com as organizações. O primeiro comportamento está relacionado ao aprimoramento da percepção sobre as próprias expectativas profissionais. O autoconhecimento é fundamental no processo de planejamento de carreira, uma vez que não existem fórmulas infalíveis para construir uma carreira de sucesso, até mesmo porque o conceito de sucesso pode variar de pessoa para pessoa. É necessário que a análise de expectativas profissionais seja um exercício constante em nossas vidas, uma vez que, a partir dos valores aprendidos na família, escola e trabalhos anteriores, podemos atuar sobre o presente e projetar nosso futuro.

O segundo comportamento consiste em desenvolver alternativas que nos auxiliem a conviver melhor com os imprevistos e as contrariedades, alinhando os nossos objetivos na busca pelo melhor redirecionamento de nossa carreira. O terceiro comportamento se baseia na iniciativa de elaborar uma estratégia particular para permanecer no mercado de trabalho, por meio da educação continuada.

Os profissionais atentos a estes três comportamentos identificam as melhores estradas nas organizações porque os seus planos de ação – oriundos do planejamento estratégico – transformam-se em plataformas extremamente úteis, revelando investimentos no negócio, de onde podem surgir oportunidades para redirecionarem as suas carreiras. Porém, sozinhos, nem sempre têm condições de explorar os seus pontos fortes, identificar oportunidades, definir objetivos, estabelecer metas, escolher estratégias, agir e avaliar resultados.

cropped-cabwordpress

SESSÃO GRATUITA 

A leitura do artigo Plano de Carreira Individual facilita a escolha do curso de Pós ou MBA é fundamental para o melhor aproveitamento da sessão gratuita (via Skype careerplanjfb1) na qual o método Questionamento Objetivo do Progresso na Carreira é aplicado – por meio de questões extremamente objetivas que provocam respostas específicas e que aperfeiçoam o pensamento crítico dos profissionais que pretendem cursar a pós lato sensu (especialização ou MBA) – visando o melhor retorno do investimento de tempo, energia e dinheiro em educação continuada. Extremamente personalizado, o processo de questionamento não possui número predeterminado de sessões. Desta forma, os profissionais têm a liberdade para definir a quantidade de sessões adequadas às suas reais necessidades.

FOTOidealTV  *João Florêncio Bastos Filho, CMC – Há 22 anos, atua como consultor de carreira especialista em cursos de pós-graduação lato sensu (especialização e MBA). Administrador pós-graduado em Recursos Humanos pelo Centro Universitário da FEI e Certified Management Consultant pelo International Council of Management Consulting Institutes. Criador do método Questionamento Objetivo do Progresso na Carreira. Autor de Planejamento de Carreira. ( Livro digital no http://www.slideshare.net/joaoflorenciobastos acessar Documentos ) Mais:  http://br.linkedin.com/in/careerplanning  (19) 3368-1758 / 99865-4060 | joaoflorenciobastos@gmail.com | Skype: careerplanjfb1 | @careerplanjfb | Fan Page : /joaoflorenciobastos

Sugestão:  Veja no YouTube a palestra TV Unimep Especial – A Busca pelo Melhor Posicionamento Profissional, antes de participar da sessão gratuita. Desta forma, a experiência será mais objetiva e gratificante.

 

  

 

 

Plano de Carreira Individual consolida o aprendizado na Pós ou MBA

BackToSchool

João Florêncio Bastos*

Pós ou MBA (Master of Business Administration) garantem a empregabilidade.

Esta afirmação tem sido considerada um mito nos últimos anos porque fazer um curso de pós lato sensu pode significar, apenas, que os profissionais buscam um certificado para “turbinarem” seus currículos.

Algumas pesquisas têm demonstrado que, de nada adianta os profissionais participarem de bons cursos, se não conseguirem aplicar o aprendizado obtido, nas organizações que buscam aumentar a sua competitividade no mercado. Comprovam ainda que muitas estratégias inovadoras que alavancam carreiras, não são ensinadas necessariamente em cursos, embora a participação nos mesmos possa revelar que os profissionais têm a preocupação com a sua educação continuada.

Refletindo sobre este mito, como os profissionais devem alinhar a execução do Plano de Carreira Individual aos conhecimentos, habilidades e atitudes desenvolvidos ao longo das aulas e na elaboração do Trabalho de Conclusão de Curso, visando consolidar o aprendizado obtido na Pós ou MBA?

Planejamento pode ser definido como um trabalho de preparação para qualquer empreendimento, a partir de um método adequado. Nesta preparação (aprendizado contínuo e aperfeiçoamento da capacidade de aprender a aprender) é muito importante que o profissional, a partir do sonho pessoal, do autoconhecimento e do Plano de Carreira Individual, busque soluções que venham ajudá-lo a libertar-se dos seus limites, condicionamentos e fragilidades.

A palavra carreira se origina do latim  via carraria, estrada para carros. Quando nós trafegamos por uma estrada devemos respeitar a sinalização, os limites de velocidade e ter a devida habilitação para dirigir. Se estas condições não forem respeitadas, estamos sujeitos às penalidades aplicadas pelos órgãos responsáveis pelas leis de trânsito. Por analogia, ao longo de nossa carreira em uma organização, também devemos respeitar a cultura organizacional, sua hierarquia formal e ter a devida qualificação profissional.

O profissional que conduz a própria carreira não fica à mercê de eventuais oportunidades porque em seu planejamento valoriza a análise constante de seus objetivos e metas de curto, médio e longo prazo à luz do comportamento do mercado de trabalho frente às mudanças de cenário na economia. Desta forma, os conhecimentos, as habilidades e as atitudes dos profissionais atualizados em sua área de atuação – aprendidos e compartilhados na pós lato sensu – estimulam novas relações com as organizações porque a tradicional dependência transforma-se em parceria e abre novas oportunidades para o desenvolvimento de carreiras inéditas.

1 – A EDUCAÇÃO CONTINUADA É O VALIOSO VOLANTE DE DIREÇÃO DA CARREIRA.

Para perceber as principais tendências no mercado de trabalho, devemos nos conscientizar de que a educação continuada representa um valioso volante de direção, que devemos segurar com firmeza, seja qual for o rumo que as nossas carreiras venham a tomar.

Nos mais diversos cursos de pós-graduação ou MBA, o convívio e a troca de experiências são muito importantes visando o compartilhamento de informações que podem alavancar a carreira de todos os envolvidos. Porém, é no ambiente do trabalho que as nossas competências devem ser mais alinhadas às necessidades das organizações. Também é no trabalho que experimentamos a aplicação de nossos conhecimentos, habilidades e atitudes por meio de entregas adequadas visando atingir os nossos objetivos a partir do planejamento estratégico das organizações.

2 – EDUCAÇÃO CONTINUADA E AS NECESSIDADES DO MERCADO DE TRABALHO.

Nos cursos de Pós ou MBA existem muitas oportunidades para conversar e debater sobre três competências sempre lembradas pelos líderes nas organizações: produzir em equipe, comunicar com objetividade e cultivar relacionamentos.

2.1 – Produzir em equipe.

Os profissionais que, individualmente, produzem bons resultados sempre serão bem avaliados. Porém, se demonstrarem dificuldades para desenvolver atividades em grupos – que têm vida útil cada vez mais curta – vão perder grandes oportunidades de crescimento e enriquecimento de carreira. O conceito de trabalho em equipe – na perspectiva das organizações que investem e reinvestem em aprendizagem – é cada vez mais aplicado porque, cada integrante da equipe, pode compartilhar com os seus colegas, aquelas valiosas informações que estão ao seu alcance, possibilitando que as atividades sejam desenvolvidas com padrões elevados de qualidade.

2.2 – Comunicar com objetividade.

No campo da comunicação, os profissionais que sabem transmitir de maneira simples e objetiva o que estão pensando têm acesso às melhores oportunidades nas organizações. A habilidade de transmitir ideias com clareza e segurança é de fundamental importância, uma vez que é crescente a demanda pela formação de grupos multifuncionais, reunindo colaboradores de vários departamentos e de diferentes formações, na busca por soluções inovadoras. No processo de comunicação e relacionamento interpessoal, dentro das organizações, ocorrem profundas transformações tendo em vista o achatamento das estruturas hierárquicas. Cada vez mais as pessoas responsáveis pelas decisões estão se aproximando daquelas que fazem o produto final ou prestam serviços ao cliente.

2.3 – Cultivar relacionamentos.

Em cada ambiente nos relacionamos com pessoas que direta ou indiretamente irão influenciar as nossas carreiras. O cultivo de relacionamentos no mercado de trabalho tem sido uma grande preocupação entre os líderes porque o conceito de fidelidade dos colaboradores mudou muito a partir do momento em que as organizações começaram a acompanhar a velocidade das mudanças. As melhores oportunidades de carreira não estão somente nos classificados dos jornais e da internet ou mesmo nos bancos de dados dos headhunters, mas principalmente, nos relacionamentos que aprendemos a cultivar na família, na escola e no trabalho.

3 – EDUCAÇÃO CONTINUADA PARA APRIMORAR COMPORTAMENTOS FRENTE ÀS NECESSIDADES.

Identificadas as três competências lembradas pelos líderes, podemos agora analisar os três comportamentos que poderíamos desenvolver para melhor dialogar com as organizações. O primeiro comportamento está relacionado ao aprimoramento da percepção sobre as próprias expectativas profissionais. O autoconhecimento é fundamental no processo de planejamento de carreira, uma vez que não existem fórmulas infalíveis para construir uma carreira de sucesso, até mesmo porque o conceito de sucesso pode variar de pessoa para pessoa. É necessário que a análise de expectativas profissionais seja um exercício constante em nossas vidas, uma vez que, a partir dos valores aprendidos na família, escola e trabalhos anteriores, podemos atuar sobre o presente e projetar nosso futuro.

O segundo comportamento consiste em desenvolver alternativas que nos auxiliem a conviver melhor com os imprevistos e as contrariedades, alinhando os nossos objetivos na busca pelo melhor redirecionamento de nossa carreira. O terceiro comportamento se baseia na iniciativa de elaborar uma estratégia particular para permanecer no mercado de trabalho, por meio da educação continuada.

Os profissionais atentos a estes três comportamentos identificam as melhores estradas nas organizações porque os seus planos de ação – oriundos do planejamento estratégico – transformam-se em plataformas extremamente úteis, revelando investimentos no negócio, de onde podem surgir oportunidades para redirecionarem as suas carreiras. Porém, sozinhos, nem sempre têm condições de explorar os seus pontos fortes, identificar oportunidades, definir objetivos, estabelecer metas, escolher estratégias, agir e avaliar resultados.

Portanto, é fundamental que o profissional invista tempo no aperfeiçoamento do seu Plano de Carreira Individual, visando o melhor retorno do investimento de tempo, energia e dinheiro em educação continuada. Por esta razão, o método Questionamento Objetivo do Progresso na Carreira é focado na aplicação prática de questões extremamente objetivas que provocam respostas específicas e que aperfeiçoam o pensamento crítico dos profissionais que cursam ou já concluíram a pós-graduação lato sensu.

cropped-cabwordpress

SESSÃO GRATUITA DE QUESTIONAMENTO

A leitura do artigo Plano de Carreira Individual consolida o aprendizado obtido na Pós ou MBA é fundamental para o melhor aproveitamento da sessão gratuita (via Skype careerplanjfb1) na qual o método Questionamento Objetivo do Progresso na Carreira é aplicado – por meio de questões extremamente objetivas que provocam respostas específicas e que aperfeiçoam o pensamento crítico dos profissionais que cursam ou já concluíram a pós lato sensu (especialização ou MBA) – visando o melhor retorno do investimento de tempo, energia e dinheiro em educação continuada. Extremamente personalizado, o processo de questionamento não possui número predeterminado de sessões. Desta forma, os profissionais têm a liberdade para definir a quantidade de sessões adequadas às suas reais necessidades.

FOTOidealTV*João Florêncio Bastos Filho, CMC – Há 22 anos, atua como consultor de carreira especialista em cursos de pós-graduação lato sensu (especialização e MBA). Administrador pós-graduado em Recursos Humanos pelo Centro Universitário da FEI e Certified Management Consultant pelo International Council of Management Consulting Institutes. Criador do método Questionamento Objetivo do Progresso na Carreira. Autor de Planejamento de Carreira. ( Livro digital no http://www.slideshare.net/joaoflorenciobastos acessar Documentos ) Mais:  http://br.linkedin.com/in/careerplanning  (19) 3368-1758 / 99865-4060 | joaoflorenciobastos@gmail.com | Skype: careerplanjfb1 | @careerplanjfb | Fan Page : /joaoflorenciobastos

Sugestão: Veja no YouTube a palestra TV Unimep Especial – A Busca pelo Melhor Posicionamento Profissional, antes de participar da sessão gratuita. Desta forma, a experiência será mais objetiva e gratificante.

 

 

  

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 973 outros seguidores